Tecnologia e consequências negativas para adolescentes

Hoje em dia, se discute muito sobre o impacto do uso em grande quantidade de tecnologias digitais por adolescentes, levantando a diversas questões sobre as consequências negativas quando se envolve o desenvolvimento social, cognitivo e emocional. Segundo pesquisas de Cursos Online, os adolescentes lideram o ranking de uso de celular e internet.

De acordo com o último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010 e o Conselho Brasileiro de Governança da Internet (CGI.Br) em 2014, observou-se que em um grupo de 100 pessoas de 10 a 19 anos no país cerca de 81% das pessoas acessam a Internet todos os dias. Isso mostra o quão arraigada e persuasiva a internet está nos lares brasileiros.

É importante destacar que a tecnologia é vista como facilitadora do ensino, pois diversos professores podem utilizá-la dentro de suas pesquisas, recursos explicativos, vídeos educativos e muito mais. Além disso, os mercados de trabalho e de relações sociais estão cada vez mais sendo expressos por meio de processos mediados por tecnologias digitais. No entanto, alguns pesquisadores estão estudando as maneiras pelas quais o uso dessas tecnologias pode afetar os adolescentes de maneira social, emocional e cognitiva.

Portanto, com esses aspectos em mente, este a pesquisa de Cursos Online tem como objetivo discutir as consequências do uso indevido das tecnologias digitais por adolescentes a partir de uma perspectiva psicopedagógica. Trata-se de um estudo bibliográfico, desenvolvido a partir de outras pesquisas que já foram feitas sobre o tema.

Adolescentes e vida em espaços reais e virtuais

À medida que as tecnologias digitais entram cada vez mais no cotidiano humano, surgem novas questões sociais e comportamentais. Nesse caso, o acesso fácil e irracional à tecnologia pode levar à dependência digital. Segundo Schwartz apud Nardon15, a Internet vem se tornando muito presente dentro do cotidiano das pessoas, principalmente dentro da vida dos jovens.

Os adolescentes, como grupo social mais vulnerável às mudanças da tecnologia digital, herdaram sua suscetibilidade ao vício. Assim, a tecnologia tornou-se um grande fator de isolamento social, o que prejudica as habilidades sociais dos jovens, que muito não têm a capacidade de distinguir entre o mundo real e o virtual.

Na visão da pesquisa, a vida social se expande na adolescência, participando de diferentes grupos que os adolescentes pertencem, como, por exemplo: escola, cursinhos, lazer, entre outros.

No entanto, nem sempre é assim e, em alguns casos, a intimidade e os encontros com grupos com os mesmos interesses devem ficar à mercê das comunicações digitais. É importante sempre reconhecer que alguns viciados em internet passam horas na frente do computador, participam de salas de bate-papo, jogam jogos online e até navegam sem parar de página em página.

A pesquisa observou que atualmente, muitos adolescentes estão trocando conversas sociais por um mundo virtual onde se comunicam por meio de vídeo chamada, mensagens, blogs, jogos online e através de redes sociais, compartilhando assim uma nova interação social, porém uma interação que somente acontece eletronicamente.

Sem exageros

Atualmente há um grande uso dentro da forma de fugir dos problemas, da dependência ou até mesmo uma forma de se sentir aceito pelo grupo.

Com o mau uso diário das mídias sociais e da tecnologia impacta negativamente a saúde de todas as crianças e adolescentes que são mais propensos a ter: depressão, ansiedade e outros problemas psicológicos, bem como futuros problemas de saúde.

Podemos destacar que existem diversas recomendações sobre como deve ser feito o uso correto da tecnologia, ele deverá ser limitado e proporcional à idade e estágio do desenvolvimento cérebro-psicológico-cognitivo-psicossocial em crianças e adolescentes.

Não existe um número definido de horas para que jovens e adolescentes usem o celular, mas devem usá-lo com cuidado, sem exageros e sem interferir dentro da vida escolar e social.

Os perigos da tecnologia

Com tantos benefícios, também há desvantagens. Quando se trata de educar seus filhos para usá-la de maneira benéfica sem comprometer sua qualidade de vida, é fundamental entender os efeitos negativos da realidade dessa tecnologia. 

Conteúdo inapropriado

Supervisionar crianças pequenas enquanto elas navegam pela internet é fundamental. Isso porque, algumas plataformas possuem recursos positivos, existem alguns perigos de entregar experiências negativas. Filtrar conteúdo com base na idade de uma criança é uma responsabilidade de cuidados primários para os responsáveis.

Esteja atento aos sites e plataformas que visita, bloqueie conteúdos impróprios e esteja sempre presente nos mundos online e offline dos seus filhos. Isso faz toda a diferença!

Problemas de interação social

É cada vez mais comum ver crianças e adolescentes colocando em risco a vida social, grudados nas telas dos smartphones. Assim, por exemplo, restringir o uso do dispositivo app, site e horários pode ser uma excelente estratégia para controlar o uso e estimular assim a interação dos jovens.

Algumas estratégias que podemos usar são: não permitir aparelhos eletrônicos antes das refeições e na hora de dormir, definir o horário para jogar videogame, evitar o uso de aparelhos quando os pais estiverem falando, entre outros.

Impacto físico e psicológico

A falta de interação com pessoas devido ao uso excessivo de tecnologia tende a ser prejudicial com o desenvolvimento emocional, social e intelectual. Além disso, produz inquietação, padrões irregulares de sono, obesidade e outros perigos.

Por essas razões, é importante para os responsáveis ​​por regular o uso da tecnologia. É importante ter regras, horários e incentivar a brincadeira com outras crianças.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Certificado Cursos Online, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre cursos, educação e diversos segmentos.