O uso da Ayahuasca no tratamento da dependência química

Alguns estudos científicos têm pesquisado as possibilidades do uso da Ayahuasca no tratamento de dependentes químicos, visto as propriedades e as características farmacológicas complexas dessa substância.

É de conhecimento, desses estudiosos, que a Ayahuasca possui a Dimetiltriptamina ou DMT, a qual é inibidora de monoamina oxidase (MAO), cuja função enzimática é a de degradar monoaminas, como a noradrenalina, tiramina, dopamina e serotonina (hormônios que causam a sensação de bem-estar, de prazer e de felicidade).

Portanto, com o uso do famoso chá de Ayahuasca, é possibilitado o aumento desses hormônios no organismo do indivíduo, além dele ser responsável por acordar regiões cerebrais as quais estavam adormecidas (levando em consideração que a maximização de serotonina, tiramina, etc. causa uma aceleração da atividade cerebral).

Segundo a crença embasada no Xamanismo, o chá possibilita uma conexão com partes interiores profundos da pessoa, os quais conseguem enxergar e acessar determinadas memórias que podem ser origens de determinados problemas.

Com essas visões ou “mirações”, o indivíduo é capaz de resolver os seus problemas e se libertar deles, ou seja, o propósito da cura interior é alcançada.

É de suma importância destacar que a Ayahuasca não é considera uma droga, embora o caráter psicoativo das substâncias presentes nessa bebida, porque não tem aspectos químicos os quais causam dependência ou vício, diferentemente das inúmeras drogas conhecidas atualmente.

Independentemente de quais são os estudos ou crenças em torno da Ayahuasca, o tratamento médico ou o tratamento espiritual com essa bebida, em relação à dependência química, pode ser, de fato, eficaz.

Continue a leitura deste artigo para saber mais sobre a relação entre o chá do Santo Daime e a cura de vícios!

O TRATAMENTO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA COM AYAHUASCA REALMENTE FUNCIONA?

Embora não se tenha evidências científicas comprovadas, o que o chá de Ayahuasca pode proporcionar é além de uma simples cura no que se refere a cuidados medicinais, ou seja, há o cuidado com o lado espiritual também.

As chamadas mirações, as quais são visões de memória que estão no mais profundo subconsciente, quando se faz o uso do chá do Santo Daime ou do chá de Ayahuasca, acontecem de modo a mostrar à pessoa pontos ou parte de determinados pontos que são disfuncionais em sua vida, fazem a pessoa compreender certos tipos de comportamento que até então estavam sendo ruins/prejudiciais/errados a si mesmo e ainda possibilita resoluções ou formas de agir para que esses comportamentos não sejam repetidos mais uma vez.

Essa bebida permite uma espécie de tomada de consciência, a qual emerge uma vontade de superar e de se libertar de determinadas situações.

Além disso, é de conhecimento que os efeitos gerados pela abstinência da droga consumida, pelos dependentes químicos, provocam muita irritabilidade e inquietação.

Dessa forma, a Ayahuasca pode também atuar nessa questão, visto ser responsável pelo aumento de hormônios do bem-estar, causando um relaxamento, uma tranquilidade e uma sensação de felicidade para essa pessoa em processo de tratamento químico, isto é, é possível deixar a pessoa mais calma e minimizar o sofrimento.

Entretanto, são necessárias mais pesquisas acerca dos riscos para a saúde humana no que se refere ao uso do chá de Ayahuasca e se, realmente, é um bom caminho para ser seguido no tratamento de dependentes químicos.

Hoje, o que se sabe, no ponto de vista científico, é que existem alguns efeitos colaterais, ao usar essa substância, como: náuseas, vômitos, diarreia, taquicardia, convulsões, hipertensão, medo, ansiedade e desenvolvimento de surtos psicótico (podendo até ser irreversível).

CONCLUSÃO

A Ayahuasca é, usualmente, utilizada pelas religiões ligadas à tradição do Xamanismo.

Existem estudos os quais procuram entender a eficiência e a forma como essa substância atua no organismo humano, com o objetivo de tratar indivíduos que possuem algum tipo de dependência química.

Embora não haja evidências, há indícios de uma possível eficácia.

você pode gostar também