TIM oferecerá 5G via tecnologia DSS em 12 cidades brasileiras até março de 2021

A operadora TIM anunciou que sua rede 5G, que utiliza o Dynamic Spectrum Sharing (DSS), estará disponível em doze cidades brasileiras até março de 2021.

A tecnologia, que é ativada nas frequências 4G atuais, foi lançada em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Curitiba durante este mês.

A operadora informou que a tecnologia também será lançada em Salvador, Fortaleza, Recife, Belém, Campinas, Santos e Florianópolis em março de 2021.

A operadora, de propriedade da operadora italiana TIM, também disse que está comprometida em cobrir 100% do país com sua rede 4G até 2023.

A TIM Brasil já havia anunciado um teste 5G nas cidades de Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul; Itajubá, em Minas Gerais; e Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. A empresa disse que usará a tecnologia DSS, bem como equipamentos da Nokia, Ericsson e Huawei.

A operadora rival Claro, de propriedade do grupo mexicano de telecomunicações America Movil, lançou serviços 5G em áreas limitadas em São Paulo e no Rio de Janeiro em julho de 2020.

A Claro lançou sua rede 5G usando uma combinação de espectro de 700 MHz, 1800 MHz e 2,5 GHz. A telco está usando a tecnologia Dynamic Spectrum Sharing da Ericsson para fornecer serviços 5G através do mesmo espectro usado para sua rede LTE-A. Os testes da tecnologia DSS começaram em outubro de 2019, em parceria com a Ericsson, Qualcomm e Motorola.

A operadora havia anunciado planos para expandir seu serviço 5G em 12 cidades adicionais antes do final do ano.

O serviço 5G da Claro chegará a Brasília, Porto Alegre, Goiânia, São Luís, Manaus, Belém, Guarulhos, Santos, Santo André, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul.

O governo brasileiro pretende realizar um concurso para a concessão do espectro 5G até o final do primeiro semestre de 2021, segundo dados recentes da imprensa.

O presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, disse que a licitação do 5G não buscará arrecadar dinheiro, mas exigirá que as empresas vencedoras se comprometam a investir no setor.

“Será o maior leilão de espectro da história do Brasil. E estamos trabalhando com um objetivo que favorece os compromissos de investimento em detrimento de um objetivo de cobrança. O Brasil ainda tem lacunas na infraestrutura de telecomunicações e essa licitação é uma oportunidade única para preencher essas lacunas”, disse.

Mesmo antes do COVID-19, o cronograma do leilão de espectro 5G havia sido adiado de sua data inicial de março de 2020, dada a necessidade de investigar mais interferências com outros sinais.

A Anatel confirmou anteriormente que concederia espectro nas faixas de 2,3 GHz e 3,5 GHz.

A futura implantação da tecnologia 5G no Brasil pode ter um impacto econômico de US$ 1,216 trilhão e um aumento na produtividade de US$ 3,08 trilhões, de acordo com um estudo recente da Nokia e da Omdia.

TIC, governo, manufatura, serviços, agricultura e varejo serão as indústrias mais impactadas pela futura implantação do 5G no Brasil, concluiu o estudo.

você pode gostar também